As minhas Personagens...

Apesar das várias assinaturas..., as palavras são todas da minha autoria.







Pesquisar aqui!

Número total de visualizações de página

sábado, 5 de novembro de 2016

Emigrantes do Coração

A aqueles que estão tão longe que se sentem perto da saudade…
A aqueles que se afastam para ter melhores oportunidades mais perto de si.
A aqueles que partem com pouco em busca de algo mais,
A aqueles que se dividem na esperança de se completarem um pouco mais, no vazio que é a solidão de se afastarem de filhos, irmãos e pais, para ter melhores condições que os demais e outros que tais…
Admiro-vos.
Não interessa se partiste para te conheceres melhor ou se foi para te alimentares de uma fatia de pão maior quando aqui escasseava e tinhas de escolher entre ti e em redor.
Não interessa se partiste porque aqui não te encontravas.
Não interessa se foste porque tens um melhor trabalho.
Eu quero que saibas que te admiro.
Sejas emigrante neste país que é Portugal
Ou emigrante do teu país natural,
Porque eu sei que és emigrante do teu local mais especial, ainda que por vezes digas não querer voltar ao teu lar original.

Conheces como é sentir Amor à distância…
E eu admiro-te.
Porque…
Imagino como seja à noite, quando antes estavas com eles no quente do vosso partilhar…
Num sofá, de chá, um cobertor e a partilhar…
Imagino o vazio de não conversar, de querer e não estar, de ouvir mas não ver falar…

Comprendo…
A língua que não é a tua, torna-se às vezes ruído…
E este silêncio que preenches com TV e Internet não mais é necessário senão pelo vazio que tens vivido…
A tecnologia que aproxima e tenta fazer sentido mas não é capaz de substituir quem não está ao alcance do teu corpo ressentido.

Eu admiro-te, pessoa emigrante, que emigraste do teu coração.
Porque eu imagino-te a chegar a casa sem o calor da receção, seja do gato, do cão, do primo, da avó, avô ou irmão.
Imagino-te a comer a sós contigo, não digamos sozinho, mas contigo…
A ver uma série, um filme e notícias afastadas da tua verdade e a pensar no que te impede de voltar e no que te move a ficar. É a contradição dolorosa de não estar.


Rir sozinho de algo que aconteceu quando ninguém viu e quiseste partilhar.
Eu admiro-te. Admiro a tua força. Todos os dias.

Não sei qual o teu credo, mas tens fé, pois Fé é Esperança e faz parte do Ser Humano e se estás onde estás, é a batalha que se traçou para ti.
Se estás onde estás, só tens que ter Esperança. 


Dezembro, 2015



2 comentários:

Eu

A minha foto
Planeta Terra, Portugal
Para quem visitar o meu espaço, não se esqueça que o último texto da página foi o primeiro a ser colocado e que entre os primeiros e últimos textos, há sempre uns pelo meio... Digo isto porque quando leio um blog, tento perceber se há algum texto que me agrade, sem deixar que os primeiros, os últimos ou os do meio me repulsem... Aqui, há textos para todos os gostos.